A mãe que luta contra memes que usam fotos de seu filho de 3 anos com doença terminal

A mãe que luta contra memes que usam fotos de seu filho de 3 anos com doença terminal
Grayson Smith tem apenas três anos de idade e sofre de doença terminal. Mas nada disso impediu que sua imagem fosse alvo de piadas nas redes sociais.
A mãe dele decidiu, porém, combater as mensagens zombando de Grayson – e ela não é a única mãe empenhada nessa luta.

O garoto nasceu numa cidade na área rural do Estado americano do Alabama, no sul dos EUA.
Ele tem várias doenças, entre elas epilepsia, apneia, um defeito no coração e protuberâncias do tecido cerebral em várias partes do crânio.
Segundo a mãe dele, Jenny, no nascimento os médicos lhe deram no máximo duas semanas de vida. Três anos e meio depois, no entanto, o menino segue desafiando todos os prognósticos.
Ela diz que, embora tenha passado por 24 cirurgias cerebrais, o filho é uma criança alegre e inteligente.
“Ele é muito sociável e alegra o coração de qualquer um”, contou Jenny à BBC Trending.
“Você pode ser um completo estranho e mesmo assim ele vai lhe dar um abraço. É uma criança muito aberta e sempre está contente.”
Mas Grayson também se tornou o protagonista involuntário de vários memes na internet.

Combate à crueldade
Tudo começou quando Jenny decidiu criar uma página no Facebook chamada Grayson’s Story (“A história de Grayson”) para documentar a vida do filho com fotos, vídeos e arrecadar dinheiro para seu tratamento.
Rapidamente a página conquistou mais de 20 mil seguidores.

Mas em Novembro Jenny ficou chocada ao descobrir que uma foto de Grayson tinha se tornado alvo de piadas.
A foto mostrava o menino sorrindo e segurando uma abóbora, com a legenda: “A cara que você faz quando seus pais na verdade são primos”. Era uma clara referência à aparência de Grayson.


“Quando vi o meme, meu coração deu um salto: era o primeiro passeio de Grayson em uma plantação e pela primeira vez ele havia escolhido uma abóbora”, contou Jenny.
“Decidi brigar porque não queria que ninguém se apropriasse do que havia sido um dia tão especial e o transformasse em algo tão cruel”, acrescentou em entrevista à BBC Trending.

A primeira coisa que Jenny fez foi entrar em contato com as redes sociais e os administradores dos sites que estavam compartilhando o meme para que o apagassem.
Alguns atenderam o pedido, outros simplesmente o ignoraram.
Para responder às piadas, Jenny criou um meme com uma foto dela segurando Grayson, que vestia uma camiseta de super-herói, e a frase: “A cara que você faz quando segura o seu herói”.

A história de Jameson
AliceAnn Meyer conhece bem a situação pela qual Jenny passou. No começo do ano, seu filho Jameson também foi alvo de trolls – pessoas que se dedicam a fazer comentários polêmicos para causar indignação e desestabilizar debates nas redes sociais.
No meme, Jameson, que tem quatro anos, aparecia comparado a um cachorro.
O filho de AliceAnn sofre de craniossinostose, também chamada de estenose craniofacial, uma anomalia causada pela fusão prematura das suturas dos ossos do crânio. A doença está associada a mutações genéticas.
AliceAnn conseguiu que vários sites retirassem a postagem após ameaçar processá-los por desrespeito ao direito autoral, mas de vez em quando a imagem reaparece na internet.

“Minha experiência com o Facebook mostra que, quando se denuncia um meme, a rede social simplesmente responde que ele não desrespeita seus padrões. A única forma de retirar uma foto é preencher um formulário de violação de direito autoral”, explica AliceAnn.
“Depois disso, demora entre 24 e 48 horas para que se receba uma resposta”, acrescentou.
O Facebook, por sua parte, disse à BBC Trending que vai investigar os dois casos e citou seus “Padrões da Comunidade”.
Neles há a advertência de que será eliminado do Facebook “todo conteúdo que atacar diretamente pessoas em função de… raça, grupo étnico, nacionalidade, religião, orientação sexual, sexo, gênero ou identidade de gênero, deficiências ou doenças graves”.
Mas AliceAnn e Jenny procuraram derrotar os trolls em seu próprio território, publicando memes em que celebram a vida dos seus filhos.
“Estamos dizendo que eles (os trolls) não vão vencer”, disse Jenny.
“A única coisa que eles conseguiram foi nos tornar mais fortes: nossa comunidade se uniu e essas condições médicas estão sendo mais conhecidas. E a crueldade deles ajudou nossas famílias a transformarem isso em uma experiência positiva”, concluiu.