Fotógrafo documenta os poderosos efeitos e horríveis consequências da droga mais mortífera do mundo.

Fotógrafo documenta os poderosos efeitos e horríveis consequências da droga mais mortífera do mundo.
AVISO: este artigo contem imagens que podem perturbar os leitores mais sensíveis.
Decorria o ano de 2013, quando Emanuele Satoli, fotografo italiano, se deslocou ate Ekaterimburgo, Rússia. O seu intuito era conhecer a realidade de uma poderosa droga e documentar o que esta fazia aos consumidores. O registou veio a deixar muitos extremamente receosos. A droga de seu nome “ Krokodil” é nada mais nada menos que uma alternativa barata da heroína e começou a ser produzida em 2000 no mercado russo.

Esta substancia deixa nos consumidores vários tipos de lesões, e o seu nome associado ao crocodilo devesse ao facto de deixar a pele com um tom esverdeada e escamosa.

Mas o fotógrafo viria a descobrir algo ainda mais macabro.
“Sabia que esta substancia era extremamente forte, e que já existiam relatos de varias mortes, mas nunca pensei que seriam tantas”, comentou.

Uma jovem, de seu nome Oxana, uma das consumidoras mais jovens que conheceu, estava completamente presa na sua cama devido aos danos que esta substancia tinha provocado nos músculos: “ No início só queria consumir. Sonhava com isso todos as noites”, relatou a jovem que se livrou do vício.

“Toda a gente que consumia heroína, começou a optar por Krokodil, por ser mais barata”. As zonas do corpo onde é injetada esta substância começa a apodrecer, e com outros resultados graves, tecido cerebral e vários órgãos vitais são alvo de uma tremenda deterioração.

É um mundo triste este, estas e outras substâncias arruínam milhares ou mesmo milhões de pessoas, destruindo as suas vidas bem como famílias. É uma Guerra sem fim.